sábado, 11 de abril de 2009

Big problem



Carrie* é uma escritora nova-iorquina bem-sucedida, inteligente, bonita e completamente obcecada por Mr. Big, o grande amor de sua vida.


E por mais que o tempo passe e outros homens entrem em sua vida, ela não consegue esquecer este homem. Enquanto Big segue sua vida, Carrie continua obcecada, esperando a qualquer momento ele voltar para ela.

Por que, assim como Carrie, não conseguimos esquecer Big?

Assim como esta mulher, continuamos presas ao passado, esperando que ele venha um dia dizer o quanto nos ama e sente nossa falta.

Continuamos alimentando esperanças de que ele, um dia, perceba que somos a mulher da vida dele, e assim, ele volte correndo para nossos braços e tudo volte a ser como era antes.

Os momentos que passamos juntos foram realmente inesquecíveis, maravilhosos, mas ele deixou claro que acabou e, mesmo assim, continuamos esperando que ele mude de ideia.

Enquanto nós esperamos isso acontecer, ele sai, conhece outras mulheres, se apaixona e acaba namorando outra.

Ele diz que somos divertidas, inteligentes, bonitas, no entanto, acaba saindo e se casando com mulheres como Natasha, que não é tão complicada e insegura, mas que não é tão interessante quanto nós somos.

Por mais que ele seja inteligente, charmoso e encantador, ele não nos ama suficiente para estar conosco. Então, será que vale a pena investir tanto tempo, esforço, dedicação em uma relação que acabou? Numa pessoa que não nos ama mais?

E com tantas pessoas interessantes para conhecer, por que continuar insistindo nessa história?

Dolly

*Personagem da famosa série norte-americana Sex and The City.

3 comentários:

Blog da Marina disse...

Acredito que quando acontece esse lance de querer alguém e ter alguém que tbm te quer , mas de maneira diferente, sempre vai rolar este lance: os dois não entram num acordo.
Aí, várias "Carries" ficam abrindo mão de realmente assumir algo legal, por conta de esperar( ou seria tentar(novamente) entender?) alguém que parece priorizar sua liberdade, seu estilo, sua independência social e sexual.Eis o big problem.
Eu acredito que é possível estar juntos sem abrir mão de suas partes, opções, estilos e vidas. Basta conciliar e interagir com o outro.
Para parar de ser uma "Carrie" e resolver o Big problema é necessário que ambos consigam o que está faltando em muitas relações: compartilhar, dividir e interagir com o outro.
Do contrário, é melhor ficar sozinha. :O)

Anônimo disse...

Olha eu acho que isto só acontece neste seriado Sex and The City.
Na vida real ninguém perde tempo esperando um homem que se foi por outra.
Só se for do tipo que passa todo tempo útil na frente da TV.
Nos mulheres na vida somos diferentes. Esperar por um homem que nos
Largou por outra ou por que não nos ama mas, só se tiver amor próprio.
Comparar a vida com este seriado è no mínimo falta de originalidade.
Suzana

Camilla disse...

Não concordo c/ vc,Suzana.A frase que diz:"a arte imitando a vida" se encaixa bem neste caso.
É claro que no seriado,os personagens vivem em função dos seus relacionamentos e os seus problemas são tratados de maneira superficial,mas não acho que esperar pelo "homem da sua vida" só aconteça na ficção.É simplificar demais a questão!
Eu conheço várias mulheres que saíram c/ outros homens,mas jamais esqueceram aquele que realmente amaram. E claro,seguiram suas vidas sem eles.