segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Fidelidade ao time





            Apesar de ser considerado uma grande manifestação cultural e uma forma de entretenimento de milhões de pessoas em todo o mundo, o futebol é encarado hoje como um produto comerciável e altamente rentável.
No momento da contratação, os jogadores analisam os benefícios e vantagens na união com o clube e escolhem de maneira consciente, não se deixando levar apenas pelo lado emocional na hora de assinar o contrato.
O desejo de jogar em clubes de maior projeção nacional ou jogar no exterior, melhores salários e maior reconhecimento público são atrativos que seduzem muito jogadores.
O que também provoca uma alta rotatividade de jogadores nos clubes, já que eles estão sempre atentos a melhores propostas de trabalho e não perdem tempo em trocar de time quando elas surgem.
Assim como muitos atletas que trocam facilmente de clube, alguns homens mudam de mulher como quem troca de camisa. E muitos chegam a jogar em dois clubes ao mesmo tempo. Driblando todos os obstáculos para obter as vantagens de ambos sem grande conflito. 
Mas será possível escolher apenas um?
Será que é possível se manter fiel a um único clube a vida inteira?
É claro que permanecer no mesmo relacionamento não é necessariamente sinônimo de felicidade. No entanto, a fidelidade é um acordo que os jogadores têm que validar a cada jogo e não apenas no dia de vitória.
Como resistir às propostas tão tentadoras dos times adversários?
E como encarar o público depois dessa troca de camisa?

Um abraço
Dolly




6 comentários:

Anônimo disse...

Há os 2 lados: o de jogador e de torcedor!
O jogador tem que escolher o melhor para sua carreira e o que é necessário naquele momento para sua projeção e independência financeira.
Já o torcedor (modalidade que inclui os jogadores, pois por serem apaixonados por futebol também torce por um time) torce por um time o resto da vida e dificilmente muda, isso acontece porque o torcedor ama incondicionalmente seu time, nas vitórias e na derrotas.
Nós homens jogamos em algumas mulheres até achar a mulher para quem torcer. Quando está é achada não há necessidade de se procurar outra, pois assim como o clube do coração, a mulher certa será amada e defendida até mesmo nas piores derrotas, assim como é nas vitórias.
Tubaína

paloma disse...

Interessante o que o Tubaína disse. De modo geral é mais comum encontrarmos as mulheres torcedoras, talvez ainda por terem uma educação mais romântica. Contudo, é muito difícil ser leal ao time. É necessária muita dedicação e vontade para fazer dar certo. Até porque a pressão da torcida pode ser um pouco difícil de lidar... bjs

Blog da Marina disse...

Bom..eu visto a camisa do time e me apaixono por ele, de verdade! Vou sempre fazer de tudo pra gente ganhar todas! mas, se perdemos, vamos lutar pra levantar a torcida novamente! No entanto, não fico em time ruim, que quer só se manter no jogo, feliz com um empate ou desanimado com uma derrotinha..rs Desclassifico ele rapidinho e já começo a procurar um outro que vale a pena torcer e vibrar :O)

Dolly disse...

Gostei da sua análise,Tubaína.O ponto de vista do torcedor também não pode ser deixado de lado,afinal,os grandes times dependem dele.
Um abraço

Dolly disse...

Paloma,
como o Tubaína mesmo afirmou, para alguns torcedores, talvez seja necessário passar por vários times até encontrar um para ser realmente fiel.rsrs
Um abraço

Dolly disse...

Blog da Marina,
Realmente o time precisa dar conta do recado e se esforçar ao máximo para não ficar na segunda divisão.Mas mesmo os melhores times estão sujeitos a algumas derrotas e eventuais empates.O jeito é não desistir e torcer por ele.
Um abraço