domingo, 3 de outubro de 2010

Eleições para namorado

Antes de escolher um candidato para presidente, governador, senador e deputado, foi necessário pesquisar o passado dos candidatos, analisar as propostas para decidir quais seriam eleitos, não é mesmo?
O mesmo acontece na hora de escolher o candidato a namorado, antes de tomar a decisão, é fundamental pensar e pesquisar tudo sobre ele:
                                                     
1.      Pesquisar o passado do candidato
Seja por meio de comunidades virtuais (Orkut, facebook ou MSN), seja em conversas com amigos e parentes do candidato; procure conhecer a história de vida, o perfil do candidato, sua maneira de pensar e agir antes de elegê-lo. Assim ficará mais fácil evitar surpresas desagradáveis no futuro.
Avalie o comportamento e atitudes do candidato no período de campanha eleitoral. Verifique se ele está realmente comprometido com o seu trabalho e observe o seu desempenho nos debates, nos comícios e, principalmente,  no corpo-a-corpo com a eleitora.

2.  Analisar as propostas
Todo ano eleitoral é a mesma coisa, os candidatos prometem mundos e fundos, mas quando eleitos dificilmente cumprem o que prometeram nas campanhas políticas.
Preste bem atenção nas propostas apresentadas pelos candidatos para poder cobrá-las depois. Por isso, precisamos saber, especificamente, o que os candidatos têm de concreto para oferecer e atender aos nossos interesses e expectativas.
          Quais são as propostas do candidato? O que ele pretende fazer, caso seja eleito? Ele quer um relacionamento mais sério ou apenas curtição? Ele corre atrás apenas no momento em que ele necessita e não tem ninguém disponível ou ele realmente se preocupa com nosso bem-estar?

3.     Lei da Ficha Limpa
Este é um item importante, afinal você descobrirá se o perfil do candidato combina com a sua ideologia. Aqueles que não preencherem os requisitos terão a candidatura barrada pela Lei da Ficha Limpa.
Os candidatos que estão envolvidos em casos de traição, os que abusam das mulheres (emocionalmente, fisicamente e financeiramente) ou que fogem categoricamente de qualquer relacionamento sério são fortes candidatos a fichas-sujas e terão a candidatura desaprovada pelo TCE (Tribunal de Contas Emocional).
No entanto, a maioria dos casos dependerá do julgamento individual no TRE (Tribunal Regional Emocional), a decisão costuma variar conforme as crenças e opiniões das juízas. Há muitos casos de candidatos que não foram condenados em última instância pela Justiça, mas que possuem um vasto currículo de punições por tribunais estaduais ou de contas.
                                                                                                                                             
Depois de analisado todos os dados é chegado o momento de escolher o seu candidato. Na hora de decidir, não só a emoção deve ser levada em consideração, mas também a razão. E escolher um candidato apenas porque ele é bonito e simpático e porque ele tem um alto índice de popularidade, não vai adiantar a resolver os problemas que aparecerão na relação dos dois. 
Escolha de maneira consciente para depois não se arrepender.

Boas eleições
Um abraço
Dolly





5 comentários:

Blog da Marina disse...

hahaha Dolly, esta foi ótima! Eu diria que NÃO acontece essa coisa de pesquisar o passado dos candidatos, analisar as propostas para decidir quais seriam os eleitos e é por isso que a gente se enrosca com cada um..fala sério? e tbm, se nos dispormos a realmente fazer este trabalho de campo, ficaremos solitas para sempre...rs
De qualquer forma, ultimamente eu tenho feito uma análise sim, mas da "bagagem" que os meus candidatos apresentam...Se for "satisfatória", ótimo!se não, ele será recusado para uma próxima, digamos, "convocação".
Bjos

paloma disse...

O Blog da Marina está certo, não se faz pesquisa dos candidatos. De modo geral, as pessoas votam em um candidato pela sua aparência ou pelo QI mesmo. E como nesse caso a ficha limpa do candidato é de difícil acesso você acaba pagando o pato.

Dolly disse...

Concordo com vocês,mas o ideal seria a pesquisa do candidato antes da eleição.Teríamos menos dor de cabeça e não precisaríamos o tempo todo instalar uma CPI para esclarecer certos fatos!
Um bjo

Mandi disse...

Amei esse post!
Na hora de levar o paquerinha a sério eu puxo até a ficha do cidadão pra saber se já respondeu por algum processo!hehehe
Orkut, facebook, twitter, até pesquiso no site não saia com ele (q infelizmente agora tiraram do ar)!

Eu faço isso pq depois d emuita porrada aprendi a me defender antes...posso acabar sozinha sempre mas pelo menos não vou me meter em fria tão cedo...como coloquei em um post q fiz já vi de tudo nessa vida...a amiga foi trocada pelo padrinho de casamento, a outra descartada pq não tinha previdência privada, a outra namorou um cara casado por 2 anos, outra então não sabia q o namorado cheirava mais q outra outra, um ex meu descobri agora q tinha outra preferência (sai com traveco é mole?) sei la depois disso tudo tenho trauma!hehehe

bjs

Criiiis disse...

E ainda escolhemos os candidatos errados algumas vezes! rsrsrs

Sorte que 4 anos ou mais são opcionais.

Bjos