sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Mulheres Alteradas*


Ainda existe uma cobrança muito grande das mulheres em querer desempenhar o papel de mãe, de esposa e de mulher com perfeição o tempo todo e, por isso, elas estão cada vez mais sobrecarregadas, estressadas e alteradas. Sem contar que os aborrecimentos do dia a dia acabam por tirá-las do sério, levando-as à loucura.
É claro que existem alguns fatores de total descontrole emocional como o trânsito caótico e infernal da nossa cidade; os motoristas mal-educados; os motoqueiros e suas terríveis buzinas; os malditos semáforos que sempre fecham quando você vai passar; os radares; os guardas da CET que sempre aparecem quando você menos espera, etc.
Passar por isso todos os dias é de enlouquecer qualquer um. Eu posso afirmar que já fui mais descontrolada no trânsito, hoje eu sigo algumas regras que me ajudam a viver nesse caos que é São Paulo:

  1. Antes eu me estressava, gritava e chorava de raiva ao ficar parada no trânsito, não adiantava nada e, pior, acabava chegando atrasada em todos os lugares. Agora quando vou sair de casa, acrescento pelo menos 40 minutos ao tempo que costumo gastar no trajeto. Por exemplo: Se eu costumo gastar 20 minutos para ir da casa ao trabalho, eu acrescento mais 40, então, eu saio 1 hora antes do horário de entrada. Resultado: chego adiantada, tranquila e equilibrada no trabalho e não tenho mais desejos homicidas.
  1. Antes havia certos horários que eram praticamente impossíveis transitar pela cidade e hoje não existe mais dia nem horário para ter trânsito, por isso, é normal ficarmos muito tempo parados nos semáforos. Agora eu aproveito esse tempo para cuidar de mim: eu bebo água e como um lanchinho; passo filtro solar nos braços, no pescoço, no rosto; retoco batom; penteio o cabelo; troco o CD de música; faço massagens no pescoço e nos ombros; lixo as unhas e passo esmalte, etc. Resultado: Prevenção de rugas e doenças de pele, de desidratação, cuidados de beleza.

  1.  Antes eu me estressava muito com o comportamento agressivo dos outros motoristas que insistiam em desrespeitar as leis de trânsitos. Hoje eu faço o que uma amiga me recomendou; toda vez que algo me tirar do sério, eu repito o mantra em voz alta: “Vai fazer isso na casa do caralho!” “Vai tomar no seu cu, seu corno filho da puta!” (Claro que faço isso com os vidros devidamente fechados e as portas trancadas!) Resultado: Depois de repetir esse mantra algumas vezes, eu consigo respirar tranquilamente e sorrir novamente.

  1.  Antes quando eu ia a um lugar que não conhecia, procurava no mapa ou no Google o endereço, copiava num papel e levava-o comigo. Apesar disso, eu sempre me perdia e parava o carro milhares de vezes e perguntava a direção certa a alguém. Hoje eu não anoto mais nada e vou seguindo o caminho no felling mesmo. Resultado: Não perco mais tempo, afinal, eu vou me perder de qualquer jeito.

  1. Como o tempo que passamos no carro é muito longo, cansativo e desgastante, eu coloco a música que eu gosto no último volume e começo a cantar e dançar feito louca. Tem um monte de gente que me olha de um jeito estranho, mas não tem problema eu não me importo mais. Resultado: Assim descarrego todas tensões acumuladas e treino o meu inglês.

Seguindo essas regrinhas de ouro torna-se mais fácil sobreviver nesses tempos tão loucos e manter a sanidade mental necessária para não surtar de vez.

Um abraço
Dolly

*Referência ao livro da cartunista Maitena




4 comentários:

paloma disse...

Hahaha...super zen budista!

Anônimo disse...

Ótimo texto Dolly, pena não poder seguir todas suas dicas. Pintar as unhas, por exemplo, seria ruim, colocaria em cheque minha masculinidade. E como sou homem não preciso do Google mapa :). Gosto dessas soluções engraçadas que você escreve há uma identificação e fica inevitável não sorrir depois de as ler.
Um abraço
Tubaína

Dolly disse...

Paloma, eu bem que gostaria estar super zen budista. Falta muuuuuito para atingir o Nirvana.rs
Bjs

Dolly disse...

Obrigada,Tubaína. E não esquente esse é um guia prático para a mulher de hoje não surtar,faça algumas adaptações e você terá uma versão que se encaixa melhor no perfil masculino como ler o jornal,ouvir o futebol na Band,engraxar sapatos,etc enquanto estiver dirigindo.
Bjs