sexta-feira, 20 de junho de 2008

Será que os sentimentos são também descartáveis?

O medo de sofrer tornou-se algo tão grande que usamos das maneiras mais estranhas para nos proteger.

Semana passada, uma amiga minha perguntou ao seu mais novo “affair” no msn quando eles se encontrariam de novo, ele respondeu que tinha muito trabalho e que seria difícil se encontrarem naquele fim de semana, mas confirmaria com ela mais tarde.



Resultado, depois dessa conversa, ele simplesmente desapareceu!

Nenhuma mensagem, telefonema, sinal de fumaça, nada!

Infelizmente, como hoje ainda não existe nenhum tipo de garantia para o caso da relação não funcionar, minha amiga me telefonou furiosa e disse:

“A partir de agora não vou mais me relacionar com ninguém, não vou estabelecer nenhum laço com nenhum homem. Não correrei riscos, porque não posso suportar outra perda.”

Além disso, acrescentou que não devemos nos apegar demais às pessoas, pois, só assim, conseguiremos evitar o sofrimento.

Quando ouvi isso achei um verdadeiro absurdo. Mas hoje fiquei na dúvida.

A partir de agora não vamos mais fazer questão de conhecer as pessoas para não sofrermos mais?

Quando um relacionamento começar a ficar mais sério ou antes de sentirmos alguma coisa por alguém, devemos terminar para não sentirmos dor?

Será essa a melhor forma de evitarmos o sofrimento da perda?

Se os relacionamentos estão cada vez mais descartáveis, e por extensão as pessoas que cruzam as nossas vidas, o que sentimos por elas é também descartável?

E o que faremos com os sentimentos que não podem ser reciclados?

Dolly

5 comentários:

Lia disse...

Acho que tudo nessa vida é descartável,inclusive,os sentimentos.Mas podemos substituir por outros,não?

Camilla disse...

Dolly,eu mesma me faço essa pergunta.Embora a nossa sociedade alimente esse tipo de postura em relação aos sentimentos,ainda acredito que é possível reverter esse quadro.Somos seres humanos e não máquinas.

revirando_minhas_vísceras disse...

Os sentimentos e as pessoas não são descartáveis.Muitos podem ver dessa forma,mas eu não acredito nisso.Cada relacionamento é único,cada pessoa que cruza na nossa vida também.

Pombinha disse...

Acredito que nada é descartável e sim reciclável, e os sentimentos não fogem a esta regra. Podemos reciclar o amor e transformá-lo em amizade, a paixão em amor, o ódio em indiferença, a tristeza em indiferença e assim por diante... Mas o que importa é SENTIR !!

Anônimo disse...

Caríssima Dolly,

essa é uma questão que só a Xena da Psicologia poderá responder.