sexta-feira, 23 de julho de 2010

Baladas ou Roubadas?



Depois de uma semana exaustiva, em que tive vontade de matar minha chefe, de estrangular meia dúzia de pessoas no meu trabalho e de me jogar do décimo quinto andar; vibrei de tanta felicidade porque, finalmente, havia chegado o final de semana.
Eu me programei a semana inteira para tal, organizei e planejei em todos os detalhes o que fazer (onde, quando, quanto e com quem) nestes dias maravilhosos de descanso.
Fiquei toda animada para sair com os amigos , no entanto, hoje ao me preparar para sair de novo, lembrei-me das últimas (fatídicas) “baladas” e o tudo o que tinha dado errado:
  1. Antes das 2 horas, meus olhos ficaram pesados e eu não parei de bocejar.
  2. Fiquei impaciente porque o lugar estava muito cheio.
  3. Os homens ao meu lado mais pareciam meus irmãos mais novos do que pretendentes a namorado.
  4. Ouvi a maioria das músicas e não conhecia nenhuma ou, ao contrário, conhecia todas as músicas quando era flashback.
  5. Quando tocou uma música conhecida, comecei a pular e dançar freneticamente. Em seguida, tive que sentar e tomar fôlego, porque já estava cansada.
  6. As menininhas na fila do banheiro me chamaram de senhora e me deixaram passar na frente.
  7. Tomei duas doses de caipirinha, fiquei alegrinha e já queria dançar com o segurança.
  8. Não tive paciência em esperar a longa fila na hora de pagar.
  9. Fui embora antes das 3 horas, cansada, exausta e querendo dormir o mais rápido possível.
  10. E a única coisa que peguei foi gripe por sair, no frio e de madrugada, sem casaco.
Depois de tudo isso, eu me pergunto: Por que continuar insistindo em ir em balada? Será que vale a pena arriscar mais um final de semana num programa que pode ser uma roubada?
É duro ter que admitir, mas não tenho mais o pique de antes! (Suspiros) Vou ficar em casa (segura e salva de micos) de pijama de bolinha, assistindo a mais um filme no Supercine, comendo pipoca que ganho mais.
Um abraço
Dolly


5 comentários:

Filipe disse...

Muito triste, mas tenho me sentido assim também!!
Eu fico pensando... e essa galera, solteirões convictos, o que será que os faz ter tanto "gás" mesmo depois dos 30, 40, as vezes 50 anos indo para as baladas todos os finais de semana????? Algo a ser estudado!!

Blog da Marina disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Blog da Marina disse...

Dolly,eu sei muito bem o que é isso! Minhas baladas ultimamente tem sido verdadeiras furadas..Fora a exploração financeira na hora de estacionar. Volto exausta e mais falida do que cheguei...hahaha
suspiros

paloma disse...

Hahaha! Pode crer... estamos velhas para isso!

Mandi disse...

Olha quando cai na vida de solteira denovo foi triste...a maioria da sminahs amigas companheiras de guerra estavam namorando ou casadas, sobrou só 1 ou outra q estava desanimada...
Mas encontrando velhas amigas me uni com uma q topava qq balada, se eu tivesse escrito esse texto q vc escreveu t garanto q não teria uma palavra diferente da sua!
Tb não estou aguentando essa vida não...
bjs