terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Casar ou não casar, eis a questão

Após mais um convite de casamento e mais uma convocação para a união de um casal de amigos ou de familiares, percebemos que todos, ao nosso redor, estão se casando e só nós estamos sobrando.

E o que é pior, em meio a votos de felicidades e juras de amor eterno, outras pessoas constatam que não estamos acompanhadas. Dessa maneira, mais um julgamento se inicia. Nós, que éramos apenas testemunhas, a partir desse momento tornamo-nos ré.

Afinal, vivemos numa sociedade que ainda valoriza muito a instituição do casamento e as mulheres que continuam solteiras são julgadas, sentenciadas e condenadas pela Corte.

Os promotores começam a fazer conjeturas sobre o porquê de continuarmos solteiras:

E a senhora, quando se CASA? Mas a senhora AINDA é solteira? Mas não tem nem NAMORADO? Quantos ANOS a senhora tem mesmo?

Enquanto os advogados de defesa, com eloqüência, dirigem-se aos jurados:

O fato desta senhora continuar SOZINHA deve ser considerado realmente um problema? Se todas as amigas já casaram ou vão se casar e ela ainda não, será que ela tem, de fato, algum PROBLEMA de relacionamento? Ou será que ela ainda não encontrou ninguém que seja bom o suficiente para se CASAR?

Ainda hoje é em relação ao casamento que se define uma mulher na nossa sociedade, sinta-se ela frustrada, revoltada ou mesmo indiferente ante essa instituição.

Assim como os jurados, começamos também a questionar a razão de continuarmos solteiras e pensamos:

Por que o CASAMENTO é tão importante na vida de uma mulher? Será que não podemos ser felizes SOLTEIRAS? Por que a sociedade impõe essa OBRIGAÇÃO a nós, mulheres?

Dolly


4 comentários:

PLANOB disse...

oi dolly
será que a sociedade impõe isso as mulhers?
será que elas são reféns, ou sonham com essa tal necessidade de casar, com medo de serem julgadas?
será que é só politico e social o problema, ou será que está ligado aos sonhos mais intimos da muler, em constituir uma familia, procriar e fazer parte de uma turma e comunidade?
a mulher é sempre mais do que td, é sempre a frente, mas deve saber perceber que em alguns momentos ela tb é frágil, como o homem tb é, como os animais tb são, como a vida nos mostra que é.
Enfim pense um pouco sobre essas minhas elocubrações.
beijos grande
admirador
ranieri

Blog da Marina disse...

Eis o veredicto! estamos inseridos em uma sociedade q se casa, têm filhos e constitui familia, além de outros tra la las.. e se tudo isso for seguido pelos princípios da lei e da fé, WOW! q lindo! a sociedade aplaudirá!
No entanto, como existe as contradições, a liberdade, os questionamentos, sempre tem aqueles que "brigam" para conseguir o "alvará de soltura"...rs Só que ganhar este processo é dificil e aí vem as acusações. Cabe àqueles que forem intimados(pq serão!), escolher o papel que desejam ocupar nesta sociedade de casamentos felizes,mas de relações falidas. Somos livres para escolhermos ser o réu, o refém,o juiz, a testemunha principal ou apenas o "tabelião" destes cotidianos matrimoniais...etc...etc...etc..

eli disse...

Será que realmente somos felizes sozinha?
E não creio que seja falida esta instituição ( o casamento)
apesar dos meus 24 anos, quero me casar e ter a minha família.
Um numero pequeno de mulheres afirmam que são
Contra o casamento, será que estão sendo sinceras?
O que pode ter acontecido é que, nos ocupamos em
ser uma boa profissional, estudando e trabalhando, quando
Percebemos o tempo passo, nossas amigas estão casadas com
filhos, e nós? Algumas mães solteiras ou encalhadas, claro que
queremos um MARIDO...

Anônimo disse...

A nossa sociedade é machista,sim.
Um homem solteiro é o garanhão,que cata todas e tdo bem.Agora,se é uma mulher é a solteirona,que ninguém quis casar!